As Maravilhas do Jucá.


Jucá (Caesalpinia ferrea), é nativa da Mata Atlântica, sendo encontrada do nordeste ao sudeste brasileiro, conhecida popularmente por vários nomes tais como ibirá, pau-ferro, imirá-itá, jucaína, icainha, muiarobi, muiré-itá e ibirá-obi.
É uma planta com ciclo perene, de grande porte, que chega a 30 metros de altura, com copa densa, arredondada, que atinge até 12 metros de diâmetro. Seu tronco é liso, com aproximadamente 50 a 80 centímetros de diâmetro, apresentando casca lisa, de cor clara e efeito marmorizado. Suas flores são pequenas, em tons amarelados, usadas para decoração. Seus frutos são vagens duras, que amadurecem no inverno, apresentando cor preta.
O jucá é uma árvore aproveitada para o paisagismo de ruas e praças, por sua beleza e por causa de grande copa, que oferece grande sombreamento. Sua madeira é utilizada na construção civil, naval e para a produção de instrumentos musicais tais como violão e violino.
A planta é muito conhecida por seus efeitos terapêuticos tais como afrodisíaco, cicatrizante, adstringente, antidiarreico, sedativa, anti-inflamatório, anti-séptica e expectorante.
É utilizada em forma de chá, preparado com suas cascas, para cólica intestinal, disenteria, gota, hemorragia, reumatismo, tosse, hemorroidas, expectorante, sífilis, para a saúde da garganta, para fraqueza e para os pulmões.
O Jucá é facilmente encontrado em grandes feiras e mercados municipais onde são comercializadas suas cascas ou suas vagens para variadas aplicações. Encontrado também na forma de pó em casas de produtos naturais.
A forma de preparação do chá é colocar duas colheres (sopa) de cascas em 1 litro de água fervente e deixar em infusão. Ou 1 colher (sopa) de pó para 1 copo de água, misturar bem e beber.
As plantas medicinais não substituem o acompanhamento médico e em altas doses podem ser tóxicas.

Comentários